Your browser is out-of-date!

Update your browser to view this website correctly. Update my browser now

×

Cookies: This website uses cookies. By using and further navigating this website you accept this. Detailed information about the use of cookies on this website is available by clicking on more Information. Close
Welcome to the Belimo Corporate Website.
Stay on the global site or select a regional site below.
Escolha a sua localização

Qualidade do ar interno e nossa saúde

Influência da qualidade do ar interno em nossa saúde

As pessoas passam aproximadamente 90% do tempo em ambientes fechados e respiram 12.000 litros de ar por dia. Por isso, é importante entender a poderosa influência que a qualidade do ar interno exerce sobre o nosso bem-estar, especialmente durante este período extraordinário da pandemia de coronavírus. Embora o impacto dos compostos orgânicos voláteis (COV) sobre os seres humanos tenha sido amplamente discutido no contexto da "síndrome do edifício doente", o papel do ar seco na propagação de micróbios, incluindo vírus, é muitas vezes negligenciado. Sistemas AVAC de alto desempenho e estratégias de umidificação adequadas são necessários para manter uma qualidade do ar interno estável e saudável nos edifícios.

Como a umidade afeta a propagação dos vírus?

Uma maneira de os vírus se espalharem é através de pequenas gotículas de água. Quanto maior a umidade do ar, maiores são as gotículas, o que as impede de se deslocarem para longe. Por outro lado, as pequenas gotículas podem viajar através de grandes escritórios abertos e sobreviver por horas - infectando mais pessoas. Além disso, muitas bactérias e vírus se tornam mais virulentos quando expostos ao ar seco.

Em climas temperados, a umidade do ar geralmente cai para uma umidade relativa abaixo de 40% durante os meses mais frios. No entanto, o "ponto ideal" para a umidade do ar interno é entre 40 e 60%, pois isso reduz drasticamente o risco de transmissão de doenças e permite que o corpo se recupere e se proteja melhor.

Prepare-se para se surpreender com o poder da umidificação adequada e aprender sobre as etapas que você pode seguir para melhorar sua própria saúde, produtividade e aprendizado.

ASHRAE Tech Hour: saúde dos ocupantes, desempenho energético e umidade do edifício

Apresentado pela Dra. Stephanie Taylor, CEO da Taylor Healthcare Commissioning, Inc. 

O ASHRAE Tech Hour compartilha o conteúdo técnico mais recente apresentado por algumas das mentes mais brilhantes do ASHRAE. 

Dra. Taylor é formada pela Harvard Medical School (MD) e Norwich University (Mestrado em Arquitetura). Seu compromisso ao longo da vida com a saúde e o bem-estar dos ocupantes concentra-se nos ambientes físicos internos.

Como os compostos orgânicos voláteis afetam a saúde humana?

Os COVs são produtos químicos orgânicos – como formaldeído e benzeno – e são originários de muitas fontes diferentes, incluindo perfumes, tintas, tapetes, materiais de construção e fumaça. Contribuem significativamente para a "síndrome do edifício doente" (acredita-se que é uma condição causada por estar em um edifício) e têm um impacto no bem-estar dos ocupantes. Mesmo baixas concentrações de COV podem causar irritação nas mucosas (olhos, nariz e trato respiratório), além de dores de cabeça, fadiga e náusea. Altas concentrações de determinados COVs também podem levar a outros problemas de saúde. Para a maioria dos compostos químicos, as autoridades locais estabelecem valores máximos para as concentrações de COV nos locais de trabalho, que podem ser medidas diretamente e controladas por ventilação e purificação de ar apropriadas.

Por que os sistemas centrais de tratamento de ar criam um clima mais saudável no ar interno?

As unidades de tratamento de ar (AHUs) e os sistemas de distribuição de ar centrais podem fornecer ar fresco, filtrado e condicionado às zonas de um edifício, em vez de recircular o ar usado dentro de uma sala. A vantagem dessa abordagem é que a qualidade do ar fornecido pode ser controlada centralmente em uma AHU a qualquer momento. Os sensores de temperatura e umidade medem permanentemente as condições térmicas do ar fornecido e os desvios são instantaneamente detectados e corrigidos. Os sensores de pressão sobre os filtros detectam precocemente a necessidade de uma troca de filtro, garantindo sempre que apenas uma quantidade mínima de poeira chegue ao interior do edifício. Todas as zonas abastecidas se beneficiarão de bastante conforto e segurança.

Além do controle central da qualidade do ar na AHU, as condições do ar interno podem ser medidas e controladas individualmente em cada sala. Os sensores de ambiente, que podem medir permanentemente todos os parâmetros ao nosso redor, como temperatura, umidade, CO2 e a presença de VOCs (compostos orgânicos voláteis), são essenciais para a nossa saúde e o nosso bem-estar. Será detectado instantaneamente um aumento da concentração de CO2 ou COV na sala, por exemplo, devido à presença de muitas pessoas na sala ou de uma copiadora que gera emissões extras, e o damper de ar do duto de ar na sala poderá ser aberto para fornecer mais ar fresco para a respectiva sala. Isso fará com que o nível de conforto chegue instantaneamente a um nível saudável.

Você só pode controlar o que pode medir. Isso também se aplica à qualidade do ar interno. Os sensores representam apenas 0,08% do investimento total em AVAC em um edifício. O custo do uso de sensores confiáveis e precisos é rapidamente compensado pela melhoria da saúde e da produtividade dos ocupantes.

Além disso, o comissionamento e a manutenção adequados são uma etapa importante para assegurar que a medição e o controle sejam estáveis e precisos a longo prazo.

Confiabilidade é a base

Os sensores confiáveis e de alta qualidade são a base do sistema AVAC para fornecer um ambiente saudável, produtivo e confortável. Sabe-se que muitos sensores no mercado apresentam desvios com o tempo. Os sensores de umidade da Belimo com elemento sensor capacitivo de polímero não são afetados pela alta umidade e pelos contaminantes. Sua precisão padrão é de 2% e o seu desvio a longo prazo é de apenas <±0,25%. A alta precisão e a estabilidade a longo prazo são os pré-requisitos para garantir os níveis ideais de qualidade do ar.

A Belimo fornece uma gama completa de sensores. Os novos sensores de ambiente da Belimo garantem uma experiência fácil de usar, com fácil instalação e design atemporal. Além disso, o Belimo Assistant App possibilita o comissionamento e o diagnóstico rápidos de forma fácil através de um smartphone.

Visite o site regional para obter mais informações sobre os nossos sensores:

Um estudo sobre a influência da qualidade do ar nas escolas

A plataforma MeineRaumluft.ch uniu forças com a Associação de Professores de Zurique (Züricher Lehrerverband) e a Organização de Pulmões de Zurique (Organisation Lunge Zürich) para descobrir como a qualidade do ar afeta os alunos e os professores. Em novembro de 2016, MeineRaumluft.ch instalou dispositivos de medição em mais de 250 salas de aula.

Leia o estudo para ver como a simples instalação desses dispositivos de medição afetou os hábitos dos professores e dos alunos em relação à ventilação:

Condições controladas do ar em salas isoladas

A transmissão de patógenos pode ser evitada isolando ou separando fisicamente uma ou mais pessoas de outras partes da sociedade. Nos hospitais, as salas especiais de isolamento ou enfermarias de isolamento completo são estabelecidas para proteger as pessoas e os seus arredores de pacientes com doenças infecciosas, ou pacientes com a imunidade comprometida de patógenos infecciosos.

As salas de isolamento são operadas com uma razão de pressão negativa ou positiva em relação ao seu entorno. A diferença de pressão necessária é gerada pela diferença entre o ar fornecido e o extraído. A nova estrutura modular da linha de produtos do controlador VAV-Universal (agora com sensor ∆p integrado) facilita a criação da combinação ideal de controle de fluxo volumétrico e pressão da sala que corresponde exatamente à respectiva zona.