Itens em sua pasta de download

A pasta de download está vazia
item(s) na pasta de download

!

Itens em seu carrinho / lista de projetos

O carrinho / Lista de projetos está vazio.
item(s) no carrinho / lista de projetos
Quantidade:
Total:

Ar-condicionado para sala de computadores (CRAC)

O que é um ar-condicionado para sala de computadores (CRAC)?

Uma unidade de ar-condicionado para sala de computadores (CRAC) é projetada para aplicações onde um controle próximo e um ar-condicionado de alta precisão são essenciais. Estas incluem resfriamento de centros de dados, ambientes de servidor de média e baixa densidade, estações de comutação de telecomunicações, salas de cirurgia e ambientes de salas limpas.

Muitas vezes, as unidades de ar-condicionado para sala de computadores são consideradas tão essenciais que exigem seu próprio chiller a água. A disponibilidade contínua de saída máxima significa que todo o sistema não pode se beneficiar da reinicialização de água de resfriamento, já que uma unidade CRAC precisa de água a uma temperatura pré-definida para garantir que o desempenho máximo esteja sempre disponível.

 



Order the new Belimo Energy Valve™ now

Learn how the Energy Valve improves your computer room air conditioning unit





Energy Valve



Situações comuns nas unidades CRAC e por que você deve escolher a Belimo Energy Valve™

Como as unidades CRAC exigem a capacidade de lidar com a carga máxima a qualquer momento, todo o sistema não pode se beneficiar da reinicialização da água de resfriamento, pois é necessária água a temperaturas pré-definidas para garantir que o desempenho máximo esteja sempre disponível. Devido à natureza essencial da respectiva tarefa, as unidades CRAC tendem a ser selecionadas e comissionadas com um tamanho além do necessário. O transbordamento resultante não pode ser convertido em energia pela unidade CRAC e é refletido em temperaturas elevadas da água ou um diferencial de temperatura baixo.

Uma Belimo Energy Valve™ usando controle de potência e gerenciamento do delta T pode garantir que o desempenho máximo esteja disponível mesmo com temperaturas variáveis da água.

Configure sua EV para usar o controle de potência e defina a energia de design necessária. Em seguida, a válvula, dependendo da entrada da fonte de controle, ajustará a saída de potência variando a vazão, dependendo do diferencial de temperatura para alcançar a saída desejada.

Usando a fórmula Q = M x CP x diferencial de temperatura (saída = massa x capacidade térmica específica x diferença de temperatura), podemos ver que a vazão e o diferencial de temperatura estão conectados quando se trata do desempenho do trocador de calor. Não é possível mudar uma variável sem afetar a outra.

O controle de potência usa esta fórmula para ajustar a vazão de acordo com as exigências de energia derivadas do sinal de controle. Naturalmente, este é um processo lento, portanto, mudanças rápidas na temperatura da vazão não resultam em movimentos rápidos e repetidos das válvulas.

Exemplo de aplicação

A unidade CRAC, mostrada na imagem abaixo, é necessária para oferecer 29,4 kW [100.000 BTU]. Tem uma vazão de design de 1 l/s [16 GPM] e uma temperatura de alimentação de 7 °C [45 °F], com uma temperatura de retorno esperada de 14 °C [57 °F]. Isto é considerado condições de "carga de design".

Em cenários de baixa carga do sistema, a alimentação da temperatura da água pelo chiller pode ser aumentada para promover economia de energia. Se a mesma unidade enfrentar agora uma temperatura de alimentação de 10 °C [50 °F], a temperatura de vazão mais alta poderia resultar em um diferencial de temperatura mais baixo, o que reduziria a saída disponível. A Belimo Energy Valve™, tendo medido um diferencial de temperatura menor, permitirá um aumento da vazão para 1,4 l/s [22 GPM] para atingir a saída necessária. Neste caso, a alteração na temperatura da água de alimentação não tem efeito adverso na capacidade da unidade CRAC de atender à carga de refrigeração necessária.

Problema: a exigência de 100% de saída impede taxas de vazão de água variáveis

A figura mostra uma unidade CRAC que foi projetada para fornecer 29,4 kW [100.000 BTU]. Normalmente, para garantir que a saída máxima esteja sempre disponível, não seria possível variar a temperatura da vazão.

Solução: Energy Valve com controle de potência

A figura mostra a mesma unidade com a mesma exigência para 29,4 kW [100.000 BTU]. Entretanto, a Energy Valve detectou o aumento da temperatura da vazão de 10 °C [50 °F] e aumentou a vazão para fornecer a saída solicitada pelo sinal de controle.